quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

O Eucalipto



O anúncio da passagem da Red Bull Air Race para Lisboa apenas confirma o que já se suspeitava há meses.

É certo que estamos num espaço concorrencial e que isso inclui a disputa, entre cidades, pelos melhores eventos. Mas, ao que se diz, Lisboa ganhou por apresentar patrocínios elevados, concedidos por empresas cuja gestão é, no mínimo, influenciada pelo Estado. Essas empresas teriam a ganhar sensivelmente o mesmo se apoiassem o evento no Porto, Coimbra, Faro ou em outra cidade. É concorrência? Não, o que temos é abuso de posição dominante.

É mais um sintoma de como o país é centralizado. Não é a maior maldade que se faz às regiões, já que as verbas do QREN, por exemplo, têm um impacto mais duradouro. Em vez de se tentar promover um desenvolvimento harmonizado, cai-se na tentação engordar a capital, onde tudo tem que acontecer. Nada sobra para as outras cidades.

Lisboa é um eucalipto que seca o país.

Fico triste pelo Porto? Sim, mas fico muito mais triste por Portugal. O país não tem estratégia, está cada vez mais desequilibrado e menos sustentável.

Esperemos que no Domingo o Porto marque pontos, pelo menos no futebol, como tem acontecido nas últimas décadas.

Mas não chega....


Filipe Garcia
Economista da IMF, Informação de Mercados Financeiros
Artigo publicado no jornal Metro em 17 de Dezembro de 2009

(remake do post A "Face Oculta" dos Aviões, de 7 de Dezembro de 2009)

3 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem visto. Infelizmente não tiro uma virgula do que disse. Mas não haverá uma hipotese de contariar esta tendencia que se vem notando há decadas? A regionalização seria uma solução para a Região Norte Douro/Minho/Tras-os-Montes?

abraço
david enes

Ricardo Crespo disse...

Por acaso, até nem sei se está assim tão bem visto !!! Já não ha paciência para as lutas Lisboa vs Porto, será que Portugal só tem duas cidades ?
Um abraço
Simão Crespo

Filipe Garcia disse...

Caro Ricardo,

O assunto não é um Porto vs Lisboa. Aliás, se ler o artigo, verificará que se fala no evento se realizar em outra cidade. O que está em causa é a centralização, a ideia que tem que ser tudo na mesma cidade e que ao país não seja promovido um desenvolvimento harmonioso.