segunda-feira, 14 de setembro de 2009

O Marketing e as eleições

O Marketing Político é, hoje, uma ciência... e é o momento certo para dele falar! Se observarmos à volta, as razões estão à vista: a verdade é que alguns dos nossos candidatos locais bem podiam aprender um pouco mais sobre esta ciência... Basta ver um desses cartazes que se espalham pelas nossas freguesias! Comecemos então por uma pequena lição: em primeiro lugar definir o que é Marketing Político. Sintetizando as definições de autores de referência, como Jennifer Lees-Marshment, o Marketing Político pode ser visto como comunicação/informação que tem por fim influenciar positiva ou negativamente as ideias do eleitor sobre propostas, candidatos, governos... Num sentido mais lato, e mais exacto também, marketing político não é, contudo, somente comunicação, como na definição acima pode parecer: é, mais que isso, criar e ajustar os “produtos” (medidas governamentais...) às necessidades da população para que esta fique e se sinta, efectivamente, melhor servida. Para uma pequena análise das autárquicas, não necessitamos ir tão longe quanto o marketing político na sua totalidade. Basta-nos ficar pela Comunicação e Vendas para saber que muito há a melhorar, a começar pela “embalagem”. Das fotos dos candidatos – muitas, verdadeiramente anedóticas! - aos slogans indecifráveis ou vazios, podemos ver de tudo. Já na vertente comunicação, os candidatos às legislativas não estão mal de todo... mas se pensarmos no marketing político na sua real abrangência... então tudo parece ainda por fazer.

1 comentário:

Anónimo disse...

A elite dos intelectuais inteligentes e honestos deste país, são um lixo, cobardes, anestesiados, subjogados.

http://jn.sapo.pt/Opiniao/default.aspx?opiniao=M%E1rio%20Crespo