quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Economistas Humanos


Oscar Wilde terá dito que "em Economia a verdade raramente é pura e nunca é simples". Há que desmistificar o carácter exacto da ciência económica. A Economia é uma ciência social, o que implica muita observação, hipóteses e poucas certezas.

Os economistas têm sido amplamente criticados por não terem previsto a actual crise (sobretudo o evento subprime e suas consequências). Mas há anos que muitos falavam no assunto e das consequências que uma bolha no imobiliário poderia ter. Só que quando um mercado está em alta o autismo prevalece. Os cautelosos são apelidados de "velhos do Restelo" e os mais sensatos acusados de tentar "destruir o mercado". Raghuram Rajan - um reputado economista - colocou bem o problema: "A maioria dos economistas é muito relutante em fazer parte do diálogo com o público. O público exige uma opinião demasiado concreta sobre coisas de eles próprios não estão totalmente certos". Há ainda um problema de reflexividade já que as opiniões que alguns economistas divulgam podem ter um efeito directo na realidade.

Ora se os melhores economistas preferem o refúgio do silêncio, então algo está muito mal! Grande parte da culpa está na forma como se exige aos economistas um rigor nas previsões e uma capacidade de acerto que não se exige a quase nenhuma profissão. Todos os "oráculos" falham: os meteorologistas, os políticos, os militares, os gestores, os treinadores de futebol e os de bancada. Falham e continuarão a falhar, porque não são mais do que pessoas. Será possível prestar mais atenção aos argumentos e menos às previsões?

Filipe Garcia
Economista da IMF

Artigo publicado no jornal Meia Hora em 8 de Janeiro de 2009

4 comentários:

P Miranda disse...

O teu repto final é muito pertinente, mas cada vez mais as pessoas (consumidores/clientes) querem saber para onde ir sem tentar perceber porquê, como ou qual o melhor caminho.
Realizar um investimento será como comprar um aspirador? - Perguntas ao empregado da loja qual é o melhor, se avariar vais lá reclamar!!!!
A banalização deste tipo actividades tem destas coisas...

Filipe Garcia disse...

a este proposito ver o artigo que saiu hoje no Publico, caderno P2
ha cada coincidencia... saiu no mesmo dia quem que aqui no Mercado Puro resolvemos falar no tema!!!

ver o link abaixo:

http://jornal.publico.clix.pt/main.asp?dt=20090108&page=4&c=C

pag 4

P Miranda disse...

O poder da capacidade de previsão é "a" nossa grande diferença relativamente aos outros animais. Tudo o que fazemos, pensamos e sentimos está condicionado pela capacidade de prever o que vem a seguir.
Em todas as nossas rotinas a capacidade de previsão está presente. Quando toca o telefone, quando o ceú está mais cinzento, quando teclamos no computador, associamos sempre uma previsão do momento seguinte.
Se nos imaginarmos num local deconhecido e em que o desenrolar de acontecimentos não segue o que para nós poderá ser expectável, viver pode tornar-se muito difícil ou então muito interessante....

Este tema da previsão tem certamente muito que se lhe diga e merece sempre reflexão apurada.

Vence quem surpreende...

materials disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.