quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

A bolsa em 2009



Nesta altura do ano é muito comum fazer alguns comentários sobre como será o novo ano.

É sempre difícil falar sobre o comportamento futuro dos mercados. Os economistas costumam dizer sempre isso, mas penso que este ano temos justificação para estar mais defensivos.

De qualquer forma esta é a minha opinião...

(ver em http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=345688# )

8 comentários:

Anónimo disse...

Bela maneira de falar sem dizer nada.

Anónimo disse...

Tentar fazer uma perspectiva realista de como será o próximo ano é como dar um tiro no escuro!

Embora existam muitas teorias e, sobretudo muitos desejos para que a situação se resolva pelo melhor, não está ao alcance do comum cidadão fazer seja o que for!

Aos que governam, compete analisar questões, tentar ir à raíz do problema e, sobretudo, pensar numa solução conjunta.

O medo pede previsões.A actual conjuntura pede soluções!

L.

Filipe Garcia disse...

Caro L,
Estou de acordo, as previsões não são nesta fase o mais importante até porque considero que seriam altamente falíveis.

Quanto ao primeiro comentário só posso dizer que agradeço o elogio e que lamento que não tenha entendido a mensagem. Para que uma mensagem passe é preciso que emissor e receptor falem a mesma linguagem e provavelmente não era o caso :(

De resto já reli o que foi publicado e estão lá mais conselhos de investimento e atitude do que seria suposto...

Anónimo disse...

Um dos meus lemas de vida é: «dêem-me dinheiro, não me dêem conselhos».
É mais correcto e simples dizer «não sabemos» e partir desse pressuposto do que iludir a ignorância com uma certa linguagem ou atitude.
O ponto é que ninguém sabe e quem disser que sabe mente. Se ler atentamente Nassim Taleb perceberá isso facilmente.
N.

Anónimo disse...

Filipe,

Saca os ensinamentos de randomness e Cisne Negro que tanto temos falado...

Mais a sério: li a entrevista e não consegui decortinar uma tentativa de influencia sem suporte. É melhor dizer "sei la" ou tentar adivinhar os movimentos e as suas causas? Sobretudo as suas causas provaveis?

Pedro Barbosa

Filipe Garcia disse...

. O Taleb já é um velho amigo desde o Fooled by Randomness.

. Não se espere num artigo generalista ter free lunches demasiadamente exaustivos, concretos.

. Quanto à "entrevista" sumarizo numa frase cada resposta:

- Há boas probabilidades de ja se ter visto um fundo nas acçoes; se quiserem certezas liguem para a Maya.

- No fim do ano vai haver quem tenha de fazer liquidez e por isso vender a saldo.

- Pq não comprar acçoes de empresas q ainda sao rentaveis e pagam bom dividendo?

- Não comprar empresas condenadas só pq estão baratas

- a economia pode nao ser tao má como dizem as acçoes, mas ha muitas empresas q vao falir

- o psi 20 é lagging nas subidas; ha la coisa melhor que isso????

- em vez de olhar para os numeros do emprego, do consumo privado e recomendaçoes dos bancos, olhem para os balanços ou outros numeros reais das empresas


tudo o q resumi agora está la no texto
se ainda assim nao foi explicito... o Metalist joga às 1945 :)

Filipe Garcia disse...

ah só mais uma coisa
eu acho muito bem dizer SEI lÁ - foi o que fiz na 'opiniões em contramão' - mas mesmo nesse contaxto nao preciso ficar paralisado... eu sei q os economistas falam de maneira estrnaha e q há muitos artistas, mas no meu comentario ao JdN eu fui suficientemente claro

agora o q acontece é que as pessoas falam de mercados e de economia como uem fala de futebol, ou seja toda a gente acha q percebe largo do assunto e que domina a linguagem, conhece o passado, estudou, etc...

Filipe Garcia disse...

já agora ver este cartoon genial sobre comprar empresas condenadas!

http://www.dilbert.com/strips/comic/2008-12-13/