sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Retrocesso



Nos anos 70 a propaganda política era feita através de murais, muitas vezes verdadeiras obras de arte que povoavam o imaginário de todos. Pintar os muros era a forma possível de comunicação de massas, embora muitas vezes resvalasse para o mero vandalismo. Os anos 80 trouxeram o cartaz, invadindo indiscriminadamente as paredes, muros, casas e até automóveis. Em ambos os casos as campanhas eleitorais - efémeras por natureza - resistiam por demasiado tempo, poluindo o país de várias formas.

As duas décadas seguintes trouxeram, felizmente, mais civismo, maturidade e preocupações estéticas na propaganda partidária. Mas, na era das redes sociais, dos smartphones e dos mass media para lá de maduros, ainda há quem pinte mensagens sobre a próxima greve geral nas paredes das cidades. Que lástima, que vandalismo, que retrocesso.
Nota: a foto acima não é actual.

Filipe Garcia
Economista da IMF, Informação de Mercados Financeiros
Publicado no jornal Metro em 27 de Outubro de 2010

5 comentários:

Jose Simoes disse...

Sucesso e Retrocesso

Bem quase toda a gente verá na situação actual semelhanças com a vivida nos '70s.

Acções iguais, reacções iguais.

Ou isto segue sempre de sucesso em sucesso?

Filipe Garcia disse...

Deixe-me esclarecer que não está aqui nenhuma crítica velada à realização da greve geral.

A crítica diz respeito às formas de expressão, mais ou menos cívicas, e isso não deverá estar relacionado com o objecto da luta.

Por exemplo, há dois candidatos à presidência que optaram por não colocar cartazes nesta próxima campanha, o que me parece um sinal positivo.

Queria também dizer que este artigo foi escrito antes do anúncio da decisão do actual presidente em não colar cartazes.

Este artigo surgiu porque vi, em muros no caminho para o trabalho, letras garrafas pintadas em muros privados ou em passeios públicos, apelos à participação na greve geral (nome e data).

Pedro Sequeira disse...

Pior só mesmo a praga dos grafitis, proliferada indiscriminadamente por mentes desviantes.

S C disse...

Viva.

O facto de ter feito esta posta diz mt da eficácia do acto em causa, dar estrilho, sensibilizar e o fundamental, passar a mensagem para mobilizar.

Eu com trinta anos nunca assisti/participei numa greve geral, é triste dada a grande necessidade que existe de mudar coisas. A mudança só por si é evolutiva, acho. E as greves gerais, pelo pouco que sei de países tipo a França, tem grande poder de provocar a mudança.

Acredito que o Sr. gostava de participar numa greve geral com elevação, com civismo, com maturidade e que fosse acutilante e poderosa ao ponto de provocar as mudanças que estamos a precisar...eu tambem gostava! mas isso só em ficcão.

O ponto a que quero chegar é: querendo todos nós essas mudanças e a greve geral sendo um forte instrumento para as atingir, devemos mobilizar a sério, todos, mesmo não gostando do discurso/método dos sindicalistas(e afins), mesmo que haja retrocessos e escrevam nas paredes, mesmo que as exigências sejam absurdas, mesmo que tenhamos de descer do pedestal e pareça ridiculo participar nestas coisas.

"Escrever na parede pode ser errado mas está a contribuir para o objectivo, MOBILIZAR À SÉRIA, logo eu não vou criticar. Essa critica, nesta fase, é remar em sentido contrário à mobilização". E não é isso que queremos, pois não?
O importante é a causa última, não nos distaiamos plo caminho, e sempre a remar para o mesmo lado..

(este tipo de "distracção" acontece tanta véz...é um grande problema da nossa "maneira colectiva de pensar" assim é dificil chegar aos objectivos)

Quanto aos métodos modernos, tipo a net... é manifestamente insuficiente opinar, descrever, desmascarar, explicar, divulgar, "mobilizar" e sei lá mais o quê que s possa fazer por aqui. Se não vejamos, hoje na net sabe-se tudo e mais alguma coisa, e... estamos no estado que estamos. E mais, lá fora onde se vê as coisas a mudar, tb se vê paredes escritas, cockteiles a voar, carros arder,... a coisa não vai com falinhas mansas ;)

Se percebeu esta minha mensagem, cultive-a e faça-a chegar longe. Vamos tdos escrever uma boa mensagem numa parede e Bute lá a essa greve... que tou farto desta inércia
:) cump.

S C disse...

Viva.

O facto de ter feito esta posta diz mt da eficácia do acto em causa, dar estrilho, sensibilizar e o fundamental, passar a mensagem para mobilizar.

Eu com trinta anos nunca assisti/participei numa greve geral, é triste dada a grande necessidade que existe de mudar coisas. A mudança só por si é evolutiva, acho. E as greves gerais, pelo pouco que sei de países tipo a França, tem grande poder de provocar a mudança.

Acredito que o Sr. gostava de participar numa greve geral com elevação, com civismo, com maturidade e que fosse acutilante e poderosa ao ponto de provocar as mudanças que estamos a precisar...eu tambem gostava! mas isso só em ficcão.

O ponto a que quero chegar é: querendo todos nós essas mudanças e a greve geral sendo um forte instrumento para as atingir, devemos mobilizar a sério, todos, mesmo não gostando do discurso/método dos sindicalistas(e afins), mesmo que haja retrocessos e escrevam nas paredes, mesmo que as exigências sejam absurdas, mesmo que tenhamos de descer do pedestal e pareça ridiculo participar nestas coisas.

"Escrever na parede pode ser errado mas está a contribuir para o objectivo, MOBILIZAR À SÉRIA, logo eu não vou criticar. Essa critica, nesta fase, é remar em sentido contrário à mobilização". E não é isso que queremos, pois não?
O importante é a causa última, não nos distaiamos plo caminho, e sempre a remar para o mesmo lado..

(este tipo de "distracção" acontece tanta véz...é um grande problema da nossa "maneira colectiva de pensar" assim é dificil chegar aos objectivos)

Quanto aos métodos modernos, tipo a net... é manifestamente insuficiente opinar, descrever, desmascarar, explicar, divulgar, "mobilizar" e sei lá mais o quê que s possa fazer por aqui. Se não vejamos, hoje na net sabe-se tudo e mais alguma coisa, e... estamos no estado que estamos. E mais, lá fora onde se vê as coisas a mudar, tb se vê paredes escritas, cockteiles a voar, carros arder,... a coisa não vai com falinhas mansas ;)

Se percebeu esta minha mensagem, cultive-a e faça-a chegar longe. Vamos tdos escrever uma boa mensagem numa parede e Bute lá a essa greve... que tou farto desta inércia
:) cump.